“Salvem as estrelas, gritava a moça. Salvem as estrelas, insistiu.
Amsterdã precisa delas, o mundo precisa delas. Mas ninguém dava a mínima atenção. Pelo contrário, olhavam-na com desprezo.
Já eu a olhava intrigado, o que que ela queria dizer? Uma metáfora?
Não havia entendido e odiava não entender. Até perceber a luz que irradiava da moça, era a luz de uma estrela, uma estrela na terra.
Entendi a mensagem que ela tentava passar a diante, e num grito uníssono completei sua frase: “SALVEM AS ESTRELAS”.
E quando fiquei ao lado da moça, do outro lado da situação.
Percebi como a humanidade era fria e indiferente. E então uma tristeza profunda me atingiu quando me dei conta de que sem essas estrelas na terra, mais cedo ou mais tarde voltaremos a ser escuridão.”
Amsterdã, 1957. 

“As estrelas são todas iluminadas… Será que elas brilham para que cada um possa encontrar a sua?”
The Little Prince.  

“Escuta aqui, cara, tua dor não me importa. Estou cagando montes pras tuas memórias, pras tuas culpas, pras tuas saudades. As pessoas estão enlouquecendo, sendo presas, indo para o exílio, morrendo de overdose e você fica aí pelos cantos choramingando o seu amor perdido. Foda-se o seu amor perdido. Foda-se esse seu rei-ego absoluto. Foda-se a sua dor pessoal, esse seu ovo mesquinho e fechado.”
Caio Fernando Abreu.   

“Eu sou carente mesmo, tenho ânsia de atenção. Gosto de carinho no cabelo e abraços inesperados. Gostam quando notam meu novo corte de cabelo, meu novo penteado, cada detalhe novo. Gosto de quem ri da minha piada mesmo sendo a mais sem graça do universo. Gosto quando notam que não estou bem e me perguntam o que aconteceu por preocupação e não por curiosidade.”
Escritora de Boteco.  

“O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.”
1 Coríntios 13:4-7.    

“A gente fantasia muito. Espera muito. Crê muito. E tem que ser assim mesmo: quebrar a cara, os dentes, o corpo. Até aprender. E se revigorar. Novamente. E quebrar as pernas de novo. E rir. E se apaixonar, e magoar, sem intenção. E ser magoado, sem intenção (ou com intenção), tanto faz. Apenas viva. Sem receio. Sem perder a vida por medo de. É horrível doloroso apavorante e super ruim ser machucado, assim como machucar. Mas também é horrível abraçar a ferida e querer morar com ela.”
Floresinexatas.  

“Você é a pessoa que todo alguém queria ter ao lado. Você é uma mistura de felicidade e encantação. Você é vento no rosto da beira da praia. Você é poesia bagunçada, mas que toca e emociona. Você é noite de luau. Você é esconderijo no claro. Você é arrepio. Corpo quente no frio. Água no deserto. Vem, chega mais perto. Você é tudo, e quando não for, calma, eu faço você ser.”
John Green. 

“Algumas coisas não servem mais. Você sabe. Chega. Porque guardar roupa velha dentro da gaveta é como ocupar o coração com alguém que não lhe serve. Perca de espaço, tempo, paciência e sentimento. Tem tanta gente interessante por aí querendo entrar. Deixa. Deixa entrar: na vida, no coração, na cabeça.”
Caio Fernando Abreu.   

“Amou daquela vez como se fosse máquina
Beijou sua mulher como se fosse lógico
Ergueu no patamar quatro paredes flácidas
Sentou pra descansar como se fosse um pássaro
E flutuou no ar como se fosse um príncipe
E se acabou no chão feito um pacote bêbado
Morreu na contra-mão atrapalhando o sábado.”
Chico Buarque. 

“Saudade engole a gente, menina.”
Chico Buarque. 

theme